ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 10 de outubro de 2017

LOUCA LUCIDEZ!




Aquele clarão na rua 
não era o brilho da lua,
era a luz do nosso amor... 
Do amor que a gente fez   
sem limite e sem pudor   
respeitando apenas nossa própria razão   
na nossa louca lucidez.   
Fazer amor só serve com emoção.   
Só assim para variar de leão a gatinho. 
Como é bom se sentir fera 
e depois pedir colinho.   
Igualzinha a mim 
você também ficou assim.
Meio felina, meio menina.   
Meio tigreza, meio leveza,   
na leveza de nossa cama que parecia flutuar.   
Não, aquele clarão não era a lua,   
era a luz de um amor que transcendeu a janela do quarto
 e espalhou-se pela rua.  
Eu ainda não estou farto   
quero tudo outra vez   
para a gente recordar   
nossa louca lucidez.

11 comentários:

✿ chica disse...

Uma luz intensa e profunda essa do amor! Linda e bem inspirada poesia! abraços ,chica

Diná Fernandes O.Souza disse...

Poesia linda, amor; um tema que faz vibrar as cordas do coração, poetizou lindamente, toque de sensualidade elegante, sem apelação. Que o lume desse amor seja eterno!Baita inspiração! Adorei!
Gratidão pela visita amigo!

Cidália Ferreira disse...

Que bonito, Carlos!

Beijinhos

Roselia Bezerra disse...

Olá, Carlos!
Uma lucidez louca é o amor de verdade.
Seja feliz e abençoado!
Bjm de paz e bem

lua singular disse...

Oi Carlos
Tá parecendo meu marido.
Na insana loucura o amor escorrega pro desejo e tudo vira uma vida gostosa.
A vida sem prazeres não é vida e sim um espectro.
Beijos no coração
Lua Singular

Andre Mansim disse...

Carlinhos! Arrasou dessa vez em meu amigo!
Que poesia bonita véio!!!

Parabéns, aplausos, e sorrisos para você!!

Toninho disse...

Quem inventou o amor por certo o fez num dia de lua cheia em plena primavera amigo.
Linda inspiração na intensidade perfeita de um grande amor livre de todas as amarras.
Belo trabalho poeta.
Abraços celeste.
Um bom feriado com o coração da criança que vive em nós.

Arte & Emoções disse...

Não era a luz da lua, mas sim, a faísca resultante do curto circuito produzido no encontro das feras. Belo poema Carlos.

Abraços,

Furtado

Edjane Cunha disse...

Que poema lindo. Como sempre você sabe dosar a sensualidade sem exageros, sem desenhar. Amoe, um tema antigo que é sempre novo e no seu poetar quanto mais louco, mais lúcido. Parabéns mil
Beijos de boa-noite

https://mundoholistico500.blogspot.com.br/

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Nossa Carlos que inspiração mais linda, sensível, fiquei sem palavras, adorei, bjos

CÉU disse...

Olá, Carlos, Menino Beija-Flor!

Eu não estou nadinha farta de ler poesia desse gabarito e teor.
Era tanta a loucura, a sintonia dos corpos e o amor, que eles faziam que a lua ficou mais luminosa, para vos ver ainda melhor. Ela é matreira e curiosa. Ah, intrometida! Não importa! Ela protege e acelera a libido dos amantes. ADOREI!

Beijos e uma semana de mto amor.